Notícias - Faculdade Suprema

SUPREMA | Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora - FCMS/JF

Pós-Graduação, Acontece na Suprema

Pós-graduação em Medicina Intensiva Suprema/Amib: garanta sua vaga

Publicado em: 27/09/2021

 

Curso de Pós-Graduação em Medicina Intensiva tem a chancela oficial da Amib – Associação de Medicina Intensiva Brasileira. As inscrições já estão abertas. Curso está previsto para ser iniciado em novembro de 2021.

 

Uma das especializações mais desejadas, em que há grande procura de profissionais para a área, é a pós-graduação em Medicina Intensiva: um ramo relativamente novo, com alta demanda de profissionais e cheio de novidades tecnológicas.

 

Pensando em ofertar formação atualizada para os profissionais que buscam o que há de mais avançado e moderno sobre o tema, a Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora - Suprema está promovendo o Curso de Pós-Graduação lato sensu de Medicina Intensiva com a chancela oficial da AMIB – Associação de Medicina Intensiva Brasileira.

 

Com duração de 18 meses e composta por 23 módulos, a Pós-Graduação em Medicina Intensiva Adulto está focada em proporcionar uma qualificação em Medicina Intensiva aos profissionais médicos que atuem nessa área ou que possam vir a atender pacientes gravemente enfermos.

 

O curso é realizado exclusivamente em formato presencial por professores altamente especializados e comprometidos com a aprendizagem e atualização dos alunos. 

 

Se você quer se tornar especialista na área, é cuidadoso e atencioso com pacientes e seus familiares, tem raciocínio clínico apurado e observação constante, sonha em atuar nos hospitais que possuam leitos de UTIs gerais ou mesmo especializadas, não pode perder essa oportunidade.

 

Role o mouse, saiba sobre o que esperar da pós-graduação em Medicina Intensiva e garanta sua vaga!

 

Pós-Graduação em Medicina Intensiva

Aulas presenciais mensais – sextas-feiras, das 14h às 22h; e sábados, das 8h às 18h.

Carga Horária: 360 horas

Público-alvo – graduados em Medicina

Local: Suprema Juiz de Fora-MG

Início: novembro de 2021*

Inscrições abertas: INSCREVA-SE AQUI

 

* As vagas para a Pós-Graduação em Medicina Intensiva Oficial AMIB são limitadas.Para garantir a vaga, é preciso fazer a pré-matrícula. Início sujeito a números de alunos para formação de turma.Data sujeita a alteração de acordo com orientações do Ministério da Saúde em relação à Covid-19.

 

Objetivos

 

A Pós-Graduação em Medicina Intensiva tem os seguintes objetivos:

 

  • Promover atividades científicas e proporcionar o aperfeiçoamento em Medicina Intensiva;

 

  • Capacitar o médico a identificar e a solucionar os problemas do paciente gravemente enfermo;

 

  • Desenvolver, no médico, em seus aspectos conceituais e práticos, a liderança necessária para o trabalho em equipe, próprios da multiprofissionalidade e transdisciplinaridade assistencial do paciente grave;

 

  • Fomentar o conhecimento e a prática dos conceitos éticos e humanitários da Medicina Intensiva;

 

  • Desenvolver o espírito profissional observador e crítico, capaz de realizar estudos de realidade, pesquisa e educação continuada em Medicina Intensiva bem como formar profissionais capazes de liderar projetos associativos identificados com as necessidades sociais da comunidade em que se insere.

 

Carga Horária, período e datas

 

A pós-graduação em Medicina Intensiva tem carga horária total de 360 h/a.

 

Ministrado em módulos mensais com 20 h/a, o curso tem duração de 18 meses.

 

As aulas serão distribuídas de duas formas: na sexta-feira das 14h às 22h e sábado das 8h às 16h.

 

Conteúdo do Curso

 

Confira abaixo o conteúdo da Pós-Graduação em Medicina Intensiva:

 

INTOXICAÇÕES EXÓGENAS E INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS EmentaIntoxicações exógenas mais comuns (diagnóstico e avaliação), condutas gerais e para envenenamentos específicos, como narcóticos, simpaticomiméticos, cocaína, anti- depressivos tricíclicos, anti-hipertensivos, acetoaminofeno, salicilatos, aminofilina, metanol, etilenoglicol, organofosforados e organofluorados; Acidentes com serpentes, aranhas, escorpiões, afogamento.
VIA AÉREAREANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR E CEREBRAL. Anatomia e Fisiologia da Via Aérea. Indicações de acesso à via aérea. Intubação Traqueal : avaliação clínica, preparo do material, metodologia. Via aérea difícil e abordagens alternativas. Traqueostomia: indicações, técnica e complicações. Traqueostomia percutânea. Demonstração prática.Reanimação cardiopulmonar e cerebral: conceito, epidemiologia, algoritmo universal: ABCD primário e secundário, fármacos utilizados, algoritmo universal. Demonstração prática.
DISTÚRBIOS METABÓLICOS. ALTERAÇÕES ENDÓCRINAS Crise tireotóxica. Coma Mixedematoso. Interpretando provas tireoidianas no paciente crítico. CAD. CHHNC. Coma hipoglicêmico. Controle glicêmico na UTI. Emergências no Diabético: Casos Clínicos. Insuficiência adrenal aguda no paciente crítico. Manejo do paciente obeso na UTI.
INFECÇÂO Introdução doenças infecciosas em pacientes graves; Tópicos em Antibioticoterapia; Fisiopatologia, definição e abordagem do paciente com sepse; Avaliação de febre no doente grave; Pneumonia comunitária grave (com caso clínico); Meningoencefalites (com caso clínico); nfecções abdominais (peritonites); Febres hemorrágicas (com caso clínico); Leptospirose; Definição e prevenção de infecções relacionadas à assistência de saúde (IRAS); Resistência antimicrobiana (com caso clínico; Pneumonia associada a ventilação mecânica (com caso clínico); Infecção de corrente sanguínea associada a cateter; Diarreia aguda e doença por Clostridium difficile; Infecções fúngicas invasivas; infecções graves de pele e partes moles; Endocardite infecciosa(com caso clínico); Infecções no paciente imunocomprometido (com caso clínico);
A ESPECIALIDADE MEDICINA INTENSIVA. AVALIAÇÃO CLÍNICA DO PACIENTE GRAVEMENTE ENFERMO A Especialidade Medicina Intensiva. A AMIB. Semiologia, semiotécnica, imagenologia e rotina laboratorial. Estabelecimento de relações entre a estrutura alterada e a resposta clínica observada no paciente em terapia intensiva. Escores de avaliação de prognóstico. A Prescrição do paciente grave. Protocolos. Critérios de internação e alta na UTI. O Prontuário médico. Febre no 
DISFUNÇÕES HEMATOLÓGICAS E COAGULAPATIAS Fisiologia e alterações da coagulação. Coagulação intravascular disseminada; Fibrinólise; coagulopatia de consumo; Trombólise e anticoagulação. Uso de hemoderivados e substitutos do plasma.
TENUTI – Terapia Nutricional do  Paciente Grave Fisiologia dos alimentos. Avaliação Nutricional; Calorimetria indireta; Indicações de Terapia Nutricional (Tipos e Vias de Acesso). Nutrição parenteral e enteral. Monitorização da terapia nutricional. Suporte Nutricional em situações especiais.
CARDIOINTENSIVISMO Anatomia e Fisiologia do coração.. Insuficiência cardíaca. Crise Hipertensiva. Hipertensão Arterial. Métodos diagnósticos.Arritmias cardíacas / Marcapasso. Indicação, procedimento e monitorização. Pós-operatório de cirurgia cardíaca / Embolia Pulmonar.
EPIDEMIOLOGIA CLÍNICA. METODOLOGIA CIENTÍFICA. BIOESTATÍSTICA Fundamentos da epidemiologia, da pesquisa e de seus métodos. Bioestatística para médicos. Como montar e programar uma monografia e um artigo para publicação.
TERAPIA INTENSIVA NA GRAVIDEZ Emergência hipertensiva na gestante. Pré-eclâmpsia e Eclampsia. EAP e ICC na gestação: diagnostico diferencial e conduta. Coagulopatias na gestação. Síndrome HELLP. Infecções e sepse puerperal. PCR na gestante. Ultrassongrafia na emergência obstétrica e ginecológica.
CITIN – Neurointensivismo Anatomia do sistema nervoso. Metabolismo cerebral. Métodos de monitorização do paciente neurocrítico. Métodos de imagem. Estados alterados da consciência: diagnóstico e conduta; Acidentes vasculares encefálicos isquêmicos e hemorrágicos; Tratamento fibrinolítico no AVE isquêmico; Hipertensão intracraniana; Traumatismo cranioencefálico e raquimedular; Infecções do sistema nervoso central; Doenças neuromusculares; Estado de mal epiléptico; Morte cerebral e Conduta na manutenção do doador de órgãos.
TERAPIA INTENSIVA DO APARELHO DIGESTIVO Insuficiência hepática; Coma Hepático; Colangite aguda. Pancreatite aguda grave.
Hemorragia digestiva alta e baixa. Diagnóstico e terapêutica.
ANALGESIA, SEDAÇÃO E DELIRIUM EM UTI Anatomia, farmacologia e fisiologia da noscicepção. Analgesia sistêmica. Situações especiais de analgesia. Indicações de analgesia, sedação e bloqueio neuromuscular. Avaliação da sedação, da analgesia e do bloqueio neuromuscular. Junção neuromuscular. Monitorização do bloqueio neuromuscular.
HEMODINÂMICA Classificação. Diagnóstico. Mecanismos fisiopatológicos.
Classificação. Reposição volêmica. Drogas vasoativas. Monitorização invasiva e não invasiva. Objetivos terapêuticos. Choque hipovolêmico; Choque cardiogênico; Choque obstrutivo; Choque séptico; Choque anafilático. Balão intra-aórtico.Demonstração prática. Monitorização hemodinâmica invasiva e não invasiva; Transporte de Oxigênio; Metabolismo do oxigênio em condições normais patológicas.
TERAPIA INTENSIVA CIRÚRGICA E TRAUMA Alterações Neuro-endócrinas no Pre e no Pós-operatório e no Trauma. Conduta inicial no paciente traumatizado. Pós-operatório do paciente com transplante de órgãos e grandes cirurgias: cirurgia abdominal, torácica, cardíaca, de aneurisma de aorta abdominal, de transplantado de fígado, de transplante pulmonar, de transplante renal, detransplante cardíaco. Cirurgia no paciente oncológico; Abdome agudo clínico e cirúrgico; Sepse abdominal: diagnóstico e conduta. Síndrome compartimental. Embolia gordurosa.
VENUTI Modos ventilatórios, indicações da ventilação mecânica, Iniciando a ventilação mecânica, Ventilação mecânica na DPOC, Ventilação mecânica na asma, Ventilação mecânica na SDRA, Monitorização da mecânica e das trocas gasosas pulmonares, Complicações da ventilação mecânica.
SEPSE  O curso de Sepse da AMIB, elaborado em parceria com o Instituto Latino- americano de Sepse (ILAS), é composto de aulas teóricas e simulações de casos clínicos, e tem por objetivo principal fornecer, aos profissionais que atuam em terapia intensiva, medicina de urgência ou setores com alta incidência de infecções graves, informações gerais e as diretrizes atuais do tratamento da Sepse.
CONSTRUINDO UMA UTI DE ALTA PERFORMANCE O Curso é dividido em quatro importantes módulos: Gestão e Qualidade; Segurança em UTI; Organização e Gerenciamento da UTI com apresentação conceitual / teórica e Oficinas Práticas. Objetivos do Curso: Conhecer as normas mínimas para funcionamento de UTIs ( ANVISA, MS e AMIB); Conhecer os princípios básicos de Gestão e qualidade em Medicina Intensiva; Aprender a rodar ciclos de PDCA utilizando de modo adequado indicadores de qualidade;Conhecer e aprender a utilizar escores prognósticos em medicina intensiva; Aprender a planejar para atingir metas, sejam elas pessoais, conjuntas e financeiras; Aprender a valorizar as pessoas como principais impulsionadoras de qualquer empresa; Conseguir uma adequada comunicação dentro de uma Unidade de Cuidados Intensivos; Saber trabalhar com processos adequadamente estabelecidos que garantam a segurança; Aprender a utilizar as principais ferramentas para melhora da qualidade e segurança no ambiente de UTI.
ECOTIN Ecocardiografia Transtorácica; Avaliação geral da função cardíaca; Ecografia vascular; Ecografia pleuro-pulmonar; Ecografia hemodinâmica; Ecografia e situações especiais; Prática simulativa.
EQUILÍBRIO
HIDRO-ELETROLÍTICO E DISTÚRBIOS METABÓLICOS
NEFROINTENSIVISMO
Acidose e alcalose. Distúrbios hidro-eletrolíticos. Anion-gap. Rabdomiólise; Síndrome da secreção inapropriada do ADH.
Insuficiência renal aguda: epidemiologia, fisiopatologia, prevenção e tratamento, métodos dialíticos, demonstração prática.
CUIDADOS PALIATIVOS Conceitos e aspectos históricos; integração de cuidados paliativos na UTI; Aspectos Éticos e legais em cidados paliativos; Apresentação de casos clínicos; prognóstico em cuidados paliativos: avaliação relacionada a doença de base; avaliação relacionada a doença aguda e sua evolução; Controle de sintomas: Dor, avaliação e tratmaneto; Sintomas mais prevalentes no pacinete crítico; Tomada de decisão em cuidados paliativos; últimos dias de vida: como identificar; limitação de suportes; sedação paliativa, Especificildades da comunicação, conferência familiar; Conflitos entre Médicos e equipes;
CURSO DE MORTE ENCEFALICA Conceito de Morte Encefálica; Fundamentos éticos e legais da determinação de morte encefálica; Metodologia da determinação da morte encefálica adulto e pediátrico; Causas reversíveis de coma e diagnóstico diferencial; Exame clínico; Teste de apneia; Exames complementares; Conclusão da determinação da morte encefálica com termo de declaração de morte encefálica e declaração de óbito; Conduta pós-determinação da morte encefálica incluindo comunicação com familiares ou responsável legal e retirada do suporte vital.
PNEUMOINTENSIVISMO Pneumonia associada à ventilação mecânica, Pneumonia comunitária grave, prevenção da PAV, Tromboembolismo pulmonar, Inaloterapia em pacientes em ventilação mecânica, Tratamento da DPOC na UTI, Tratamento do mal asmático, Desmame da ventilação mecânica, Manobras para melhorar as trocas gasosas no paciente em V. Mecânica, SARA, Interação cardiopulmonar, Miscelânea.

 

 

Saiba também sobre Suprema/Amib lançam Pós em Medicina Intensiva Pediátrica e Neonatal.

 

 

A Suprema é uma das mais conceituadas escolas médicas do Brasil. Aqui, no blog da Suprema você encontra uma série de artigos relacionados à carreira médica. Você pode gostar de ler também um pouco sobre todas as especialidades médicas e áreas de atuação no post Conheça as 55 especialidades médicas e 59 áreas de atuação da Medicina.

 

*Texto extraído do Blog Residência Médica 

(32) 2101.5000

Alameda Salvaterra, nº 200, Bairro Salvaterra, CEP 36.033-003 - Juiz de Fora MG

VEJA ABAIXO COMO CHEGAR


suprema jf
Fies
Fies
Futuro Comunicacao